1/28/2010

Espera

Em uma ilha deserta, nada posso fazer senão esperar. Nada mais reconfortante do que saber que nada poderá ser feito até a hora certa. Um mês, duas semanas, uma semana, dois dias, um dia, uma noite – ainda que mal-dormida – duas horas, uma hora, um minuto. Nada posso fazer para acelerar o mundo. Se eu conseguisse criar uma ilha deserta a cada vez que precisasse esperar por algo inelutável...
Acordo de meu sonho acordado, na sala de espera do médico, aguardando há mais de meia hora pela consulta, com a certeza absoluta que ele nada tem para fazer.

Nenhum comentário: