4/23/2010

Diálogo inconcebível

A - Vamos criar um manual de instruções para ir da China à África sobre uma folha de papel?
B - Ótimo. Quantas pessoas podem ir sobre a folha?
A - Não sei, mas elas não podem afundar o papel.
B - Entendo, mas... salvo melhor juízo, não é possível viajar sobre o papel, ainda mais da China para a África, não?
A - Quem disse que não é possível? Nós somos o possível!
B - Ah, bem... não seria melhor fazer uma canoa ou pagar um avião?
A - Não, porque é muito melhor usar papéis. Neles, podem ser postos nossos sonhos, nossas frustrações, nosso mundo, porque os papéis são mais seguros que as canoas ou os aviões. Você já viu alguém naufragar sobre um papel?
B - Não, mas nunca vi alguém viajar sobre um.
A - Tudo bem. Você verá que é tudo uma questão de tempo. Eu já vi tudo o que é possível fazer sobre papéis. Estudei durante anos a resistência do material e posso comprovar. Logo, logo, você me entenderá...
B - Não sei. Acho que é possível acreditar em muita coisa, mas nisso, com a devida vênia, não dá.
A - Ok. Então vamos fazer aviões de papel e mandá-los até a Rússia.
B - De novo com papéis?
A - Ok, ok. Que tal inventarmos um explosivo plástico para explodir estátuas? Não há papéis aí...
B - Ótimo. Quantas pessoas são necessárias para criá-lo?
(...)

"A pica é sua, Aspirante." (Capitão Nascimento)

Nenhum comentário: