10/02/2011

Rimas trôpegas de um poeta tímido

Não posso te dizer o que sinto:
é proibido.
Preciso deixar tudo bem escondido,
tudo pelo não-dito.

Mas, a cada vez que te vejo
de longe eu pretendo
te dizer o que leio
no fundo do teu olhar.

Não, não posso:
Vem à tona o remorso
e já cabisbaixo retorno
a meu profundo pesar.

Será que vês meu sofrer,
todo dia ao amanhecer,
esperando que o teu querer
possa o meu encontrar?

Não, novamente o proibido
deixa-me muito aturdido,
saio com pressa, contido,
e volto para casa sonhar...

Nenhum comentário: