10/02/2011

Vivi minha vida sem mim.
Sem que eu a tivesse vivido.
Viver com alguém é prescindir de si?
Talvez, mesmo que por alguns momentos.
Mas, agora que tenho a mim mesmo,
Sinto minha ausência
profundamente.
É como se eu não sentisse sequer minha respiração.
Ausência.
Como procurar a si mesmo?
Talvez o segredo esteja em encontrar
o outro profundo que existe em mim.
Refúgio da ausência no fazer eternamente repetido
de meu poetar.
Vejo o pôr-do-sol em
um lugar qualquer,
derramo minhas lágrimas
de tinta em um papel qualquer,
e vou embora descansar.

Nenhum comentário: