2/01/2012

pensar não é angelical

Pensar não é angelical. Tanto que o pensamento tem localizações e movimentos precisos, dignos

de um agrimensor: no topo da cabeça, te puxando pra cima como um aparelho de suc

ção. Você sente sua cabeça sendo puxada pra cima e roga,
a si mesmo.

Alguns pensamentos giram ao redor do crânio, passam
como brisa, ou mais

como se você fosse um parafuso da imbecilidade compartilhada e sua pele fosse de argila. Outros se escondem

na base do cérebro, para ser mais preciso:

em seu porão –
cheiro de mofo e morte. Cair neles é como mergulhar –
viver cria lodo. Existem pensamentos

do lado de fora, gritos grudados nas paredes, falas alheias que fisgam
a mente: um peixe

faminto nessas ocasiões – e otário.

Por fim, há os que acompanham
a fina membrana entre olhos e
luz, a consciência
não está nem fora nem dentro,
à superfície

da vida (toque a superfície do rio, sinta a suave resistência líquida, antes do mergulho, suas mãos serão um pensamento instantâneo da água). Pensamentos sem

pergunta, de quem
está desperto mas não
em vigília (a luz

da vela e suas sombras dançam seus olhos
ao flu

tuar e se diss
olver na parede).

É esse dissolver-
se que chamamos de:

anjos.

3 comentários:

Marceli Andresa Becker disse...

Deu vontade de chorar :'... no final.


A progressão deste tem algo de diferenciada... Porque começa áspero, claustrofóbico, vai até a lama.


Depois, surgem imagens mais rarefeitas; e a percepção liga as suas minúsculas antenas para vê-las, entre o sopro e algo que não consigo dizer...


Gosto dessa movimentação dos teus textos. E a versificação contribui aqui pra esse efeito... Muito bom!

Beijo,
Mar

Daniel F disse...

esse aí foi resultado de uma meditação. tive uma sensação estranha, de que alguns pensamentos faziam movimento diferentes, no sentido mais concreto que voce imaginar. como forças que puxam o corpo pra um lado e pro outro. até chegar a um ponto em que o olho virou pura superfície.
essa meditação foi meio louca. às vezes acontece.

Aldemar Norek disse...

"Isto aqui é musica/ vc tem que fazer o pensamento dançar/ com seus sapatos cinzas".

Que beleza, Daniel!