7/17/2011

Do meu caderno de experimentações - 1

SEM TÍTULO

1

rótulas, gaiolas.
ejaculação de voos pelo cálcio, ave-osteoporose.

2

corpo é cerca cio adentro.

em cada felpa, em cada farpa,
um anjo errado irriga a sua cidade vascular.

3

como é alto o som na ponta escura
desta corda, incubadora-kamikaze,

4

como é fino
este cordão umbilical para virar cabo-de-guerra.

5

(todo amante
atira o filho da sacada que há nos fundos, no final,

do coração.

todo sol atrás é um ninho de fuligem e de fumo.)

6

corpo é um terço
muito curto, uma oração que aperta cristo,

7

(rótulas, gaiolas),

parapeito em que chacais
se inclinam para entrar na vida de cabeça.

8

caem os órgãos aos pedaços.
comunhão de porra, muco e baba.

9

morte vem lubrificada: fácil passar.


(Também publicado na Revista Germina.)

Um comentário:

Marceli Andresa Becker disse...

Extraí alguns versos ao republicá-lo no blogue (os correspondentes à parte 2).